Saltar diretamente para o conteúdo

Voltar à página anterior. História

A casa

Em 1913, Ernesto de Santa Cruz Magalhães solicitou ao arquiteto Álvaro Augusto Machado o projeto de um imóvel para sua habitação e instalação de um Museu em homenagem a Rafael Bordalo Pinheiro, artista por quem nutria forte admiração e com quem partilhava os seus ideais republicanos. O risco foi ao gosto da «casa portuguesa» com tradicionais alpendres, beirais e aplicação generosa das artes decorativas.

O edifício foi premiado com uma Menção Honrosa do Prémio Valmor, em 1914. Em Agosto desse ano, A Arquitectura Portuguesa, Revista Mensal da Arte Arquitectural Antiga e Moderna, dedicava um artigo à “Casa do Ex.mo Sr. Artur Santa Cruz Magalhães”.

Quando abriu as portas ao público, a 6 de agosto de 1916, o Museu Bordalo Pinheiro ocupava três salas do primeiro andar do edifício e titulava como um dos primeiros a ser construído de raiz para a função de Museu em Portugal e, simultaneamente, como o primeiro museu monográfico dedicado a um artista.

Em 1924, casa e coleção foram doados à Câmara Municipal de Lisboa. Em 2016, no ano em que comemorou 100 anos, o Museu passou a ser tutelado pela EGEAC – Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural.

SUBSCREVA O BOLETIM BORDALO PINHEIRO
Pretende receber informações regulares sobre a programação e atividades do Museu Bordalo Pinheiro? Subscreva a nossa newsletter e fique a par das notícias.
Aceda aqui ao formulário.